Panóptico

Posts Tagged ‘bicicleta

Ghost bike Antônio Bertolucci

leave a comment »

Antônio Bertolucci tinha 68 anos e pedalava diariamente. Há dois meses, ele morreu atropelado por um ônibus de turismo no acesso à Av. Sumaré, na zona oeste da cidade de São Paulo.

No asfalto da avenida, manifestantes marcaram sua indignação com o desrespeito à vida; no alto do semáforo, penduraram uma bicicleta branca em memória do ciclista.

Anúncios

Written by panopticosp

agosto 17, 2011 at 10:30

Publicado em transporte

Tagged with ,

A evolução das mortes de ciclistas nos Estados brasileiros

with one comment

Os números abaixo são absolutos, ou seja, representam o número total de ciclistas mortos no trânsito. Não estão consideradas relações segundo população total do Estado, número de ciclistas, número de veículos motorizados, tampouco malha rodoviária ou cicloviária.

A evolução das mortes de ciclistas no trânsito é clara: a cada ano, morrem mais ciclistas no trânsito brasileiro. Em 1998, o DataSus, do Ministério da Saúde, registrou 10 óbitos de ciclistas no Estado de São Paulo; em 2008, foram 311. Um crescimento de mais de 3000%.

Clique no gráfico para navegar pelos Estados

Written by panopticosp

junho 13, 2011 at 17:31

Publicado em transporte

Tagged with , ,

Bicycle city

leave a comment »

Written by panopticosp

maio 16, 2011 at 14:01

Publicado em transporte

Tagged with ,

São Paulo tem ato em solidariedade a ciclistas atropelados em Porto Alegre

with one comment

Em São Paulo, ciclistas, pedestres e skatistas protestaram contra o atropelamento em massa de ciclistas promovido por Ricardo José Neis em Porto Alegre.

Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre e Buenos Aires também terão protestos contra a violência ocorrida em Porto Alegre.

Relacionados:
Como foi a manifestação de apoio aos ciclistas de Porto Alegre, Vá de Bike
Uma noite, corpos no asfalto, As bicicletas

Written by panopticosp

março 1, 2011 at 13:14

Publicado em transporte

Tagged with , , ,

Mortes por homicídios e em transportes no Brasil

with 4 comments


Clique na imagem para navegar no gráfico dos Homicídios vs. Óbitos em transporte (taxa em 100 mil) – 2008

Em 2008, no Brasil, ocorreram 39.211 mortes em colisões, atropelamentos e outras situações de transporte; no mesmo ano, 50.113 pessoas foram assassinadas das formas mais conhecidas: na bala.

Pistola automática, três oitão e fuzil são regulados por lei, seu uso é restrito e um “acidente” com uma arma de fogo segue os tramites de abertura de inquérito e toda sequência de atos jurídicos.

O uso do carro, da moto e de carros que parecem caminhões também é regulamentado. Seu uso, porém, é fortemente incentivado pelo governo, através de apoios fiscais e investimentos em estrutura para autos, e pelas empresas, através do longo convencimento cultural. Os crimes de trânsito não motivam investigações e tem uma vida nas pastas do judiciário apenas formal – por conta de seguros e similare$.

Jovens

Mais de 18 mil jovens de 15 a 24 anos, que deveriam estar estudando, produzindo e desenvolvendo o país, morreram assassinados em 2008. Quase 9 mil morreram no trânsito e não tiveram futuro no país do futuro.

A taxa de homicídios entre jovens, em 2008, cresceu 1,9% em relação a 1998. Já taxa mortes nos transportes, no mesmo período, cresceu 32,4%. Ou seja, em uma década o país nada fez para conter ou reduzir a chacina provocada por automotores nas ruas do interior e das capitais.


Clique na imagem para visualizar o gráfico das Mortes em transporte no Brasil, 1998 vs 2008

O delegado Gilberto Almeida Montenegro, que culpou dezenas de ciclistas pelo próprio atropelamento, em Porto Alegre, é um exemplo da visão hegemônica no país hoje: a de que avançar com um carro sobre uma pessoa e matá-la não é “morte matada”, é “morte morrida”.

Quando o diretor da Divisão de Crimes de Trânsito de uma de nossas capitais mais ricas declara aos jornais sua preferência pela impunidade, mesmo diante de imagens e testemunhos cabais, a evolução das mortes mostradas pelo gráfico acima torna-se ânsia de vômito.

Written by panopticosp

fevereiro 28, 2011 at 17:19

Publicado em transporte

Tagged with , , , ,

A cidade não é isso que está aí, a cidade é outra coisa

with 6 comments

Numa rua tranquila um carro prateado desliza pela curva que leva a uma estrada ensolarada. De um bosque florido é que surge um garotinho numa bicicletinha; de encontro aos pais orgulhosos, ele e o cão de pêlo macio comemoram um dia ao ar livre.

A cidade dos comerciais de automóveis e dos panfletos imobiliários é bem diferente daquela na qual vivemos todos os dias. Praças sem bancos, jardins de espinhos, cafés onde não é preciso deixar claro que ali é proibido se demorar sentado, pipoqueiros correndo da polícia e, claro, carros, muitos carros.

Sendo a copa do mundo um evento publicitário, natural que a cidade das redes de televisão seja festiva, vibrante, alegre e qualquer outra palavra que venha à cabeça do Galvão.

Bêbados em carros do tamanho de caminhões, buzinas desesperadas agonizando no trânsito e empurra-empurra no metrô são parte de uma realidade que não cabe no panfleto esportivo.

O jogo começa e junto uma cidade diferente. Durante poucas horas, as ruas se esvaziam e o tempo parece passar mais devagar. Um par de 45 minutos mostra que uma outra cidade possível.

Se o futebol, orgulho do nosso país, costuma nos envergonhar e a memória do “futebol-arte” frequentemente tem que ser acionada pelos fãs; com São Paulo não é diferente, os “tempos passados” são aqueles para onde a maioria corre quando quer falar algo positivo de seu lar.

Sugestões à seleção de Dunga não faltam. Todos sabemos que a coisa poderia ser diferente, mais divertida e melhor. São Paulo também não precisa ser assim.

Relacionados:
Brasil 3 X 0 Chile, apocalipse motorizado
Brasil 2 X 1 Coréia do Norte, apocalipse motorizado
Brasil 3 X 1 Costa do Marfim, apocalipse motorizado
Brasil 0 X 0 Portugal, apocalipse motorizado

Written by panopticosp

junho 28, 2010 at 20:48

Publicado em transporte

Tagged with , , ,

A rainha

with 2 comments

Spaarnestad Photo. Domínio público

A Rainha dos Países Baixos Juliana Oranje-Nassau de rolê nas Ilhas Terschelling em 1967.

Um tanto diferente dos reis que governam de São Paulo, não?

Written by panopticosp

junho 12, 2010 at 12:08

Publicado em transporte

Tagged with