Panóptico

Como reconstruir uma cidade

with 4 comments

Este sensacional desenho animado de 1948 não poderia ser mais simples.

Em oito minutos, uma bela explicação de como, através da mobilização da sociedade, tornar uma cidade mais agradável a todos.

Atualização
Rafael, leito do blog, contextualiza para nós o modelo de urbanismo apresentado no filme e questiona a participação popular no processo de construção desta cidade:

Trata-se do contexto das cidades-jardim inglesas, uma suposta alternativa ao “desenvolvimento” das cidades americanas a também uma possibilidade diferente do urbanismo modernista, só que também pautadas pela setorização, pela construção pré-ocupação, e, no limite, pela seleção de habitantes.

Mais uma forma de conceber uma cidade de cima para baixo, tais cidades necessitavam de um manual de instruções, pois tudo é diferente. Com o perdão da expressão, estas cidades não são naturais – são artificiais no sentido de que não são construídas de acordo com os interesses da população, mas sim seguindo um suposto modelo de bem-estar.

via Shane Glines’ Cartoon Retro

Written by panopticosp

dezembro 18, 2009 às 9:49

Publicado em transporte

Tagged with , , ,

4 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Admiro seus pensamento há muito tempo, e sempre acompanho o site. Nunca comentei, mas desta vez me senti impelido. O desenho parece mais propaganda do que mobilização: trata-se do contexto das cidades-jardim inglesas, uma suposta alternativa ao “desenvolvimento” das cidades americanas a também uma possibilidade diferente do urbanismo modernista, só que também pautadas pela setorização, pela construção pré-ocupação, e, no limite, pela seleção de habitantes. Mais uma forma de conceber uma cidade de cima para baixo, tais cidades necessitavam de um manual de instruções, pois tudo é diferente. Com o perdão da expressão, estas cidades não são naturais – são artificiais no sentido de que não são construídas de acordo com os interesses da população, mas sim seguindo um suposto modelo de bem-estar. Bom, comecemos os debates. Forte abraço.

    rafael

    dezembro 18, 2009 at 16:23

    • Rafael,

      Sem dúvida, produzido pelo Central Office of Information, o vídeo é uma propaganda.

      Queríamos, porém, apenas destacar a “intenção” de construir cidades mais humanas existe e é coisa antiga.

      As formas de fazê-la são várias. Os britânicos apresentam aí uma ideia.

      Como sabemos, muitos conceitos presentes neste filme foram caindo por terra ao longo dos anos. Mas não quis fazer um post discutindo os “comos”.

      Aí talvez tenhamos nos traído, justamente, numa das propostas do blog que é trazer através da critica, questões que as pessoas, de forma geral, não tinham notado ou parado para pensar.

      O título dá a entender que apoiamos esse modelo de cidade, que ela é a ideal. Aí está um erro nosso.

      Sua observação foi na mosca sobre a artificialidade foi na mosca.

      Revendo o filme noto que a reunião mostrada no filme é uma reunião entre “eleitos” e que nela um só homem explica como a coisa vai funcionar, um só homem “dá as instruções”.

      Achei que a cena representava uma reunião de cidadãos/moradores.

      Temos, portanto, um erro grave no post quando citamos “através da mobilização social”.

      Com sua licença vou destacar o comentário no post.

      Valeu pelo ótimo comentário, espero que o faça mais vezes.

      Feliz em saber que espíritos críticos como o seu estão frequentando o blog,

      Panóptico

      panoptico

      dezembro 19, 2009 at 12:14

  2. Muito interessante blog e comentários. Às vezes eu penso que não devemos desconto este tipo de planejamento urbano do Estado social, mas devemos adaptabilidade a diferentes geografias e realidades socioeconômicas do terceiro mundo. Os modelos atuais de planejamento (elitista, neoliberal) não levam em conta os problemas com a densidade de favelas brasileiras e assentamentos no resto da América Latina, os problemas mais urgentes dos mais necessitados. Acho que o mercado tem uma má imagem que temos deste tipo de planejamento porque o mercado não quer um estado de bem-estar. Não há algo mais CIAM hoje que a cidade de Dubai?

    Saudações

    PS: Eu estou usando o tradutor do Google. Falo Espanhol. perdão se não for entendido

    Pedro

    dezembro 30, 2009 at 14:56

  3. Compreendo o que dizem… acredito que associações de bairro ou de interesses específicos tenham um papel importante de trazer aos órgãos competentes a vontade das pessoas. E importante nesses planejamentos hoje é enfrentar a vontade das pessoas em ter mais do mesmo, se escutamos as pessoas em São Paulo furiosas no trânsito teremos mais ruas. Precisamos de audácia nestes planejamentos.

    matiasmm

    janeiro 6, 2010 at 16:43


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: