Panóptico

Não reduzir na lombada é hilário, aceita CONAR

with 5 comments

“Verdades sobre o Gol n° 72”

Representação n° 61/07
Autor: Conar, a partir de queixa de consumidor
Anunciante e agência: Volkswagen e Almap/BBDO
Relator: João Monteiro de Barros Neto
Segunda Câmara
Decisão: Arquivamento
Fundamento: Artigo 27, nº 1, letra “a” do Rice

Um consumidor carioca e uma consumidora de Cascavel queixaram-se contra comercial de TV da Volkswagen que afirma que o “O Gol não passa na lombada. A lombada foge antes” e recomenda que o consumidor “use sem dó”. Segundo as denúncias, a peça faz sugestão de direção em velocidade excessiva e desrespeito às regras de trânsito.

Anunciante e agência esclareceram que a peça foi inspirada em uma brincadeira que circula na internet sobre “As verdades sobre Chuck Norris”, onde o ator é citado com feitos fantasiosos e hilários, sem nenhuma conotação negativa ou afronta ao Código.

O relator concordou com os argumentos da defesa e recomendou o arquivamento da representação, aceito por maioria de votos.

Fonte: resumo dos acórdãos julgados durante o mês de abril pelo Conselho de Ética do Conar em reunião realizada dia 19, em São Paulo.

É verdade, os pedestres são obrigados a assistir filmes de Chuck Norris. São a maioria da população: não têm carro, nem dinheiro para o cinema, também não podem dar um passeio com a família, porque no bairro não há onde passear de graça, são obrigados a encarar os enfadonhos filmes de ação da Globo e SBT nas noites de descanso.

Os filhos e pais do pedestre de meia idade não têm a aptidão física exigida pelas ruas. O pedestre tenta defender os seus, educando-os a sobreviver na grande cidade. Aos idosos dá conselhos de cuidado, já que perderam a capacidade de correr para desviar de automóveis a 60km/h. Aos filhos dedica atenção e advertências, eles ainda estão aprendendo – aos gritos de “não vai pra rua!” – que o mundo é delimitado, que a parte do universo onde o chão é preto de asfalto é proibido aos que insistem em caminhar.

O pedestre de meia idade não confia em Chuck Norris, não confia num país onde agências de publicidade se auto-regulamentam. Ele não tem internet e não entendeu os mencionados “feitos hilários” da peça publicitária. Sabe que estas referências argumentadas pelo anunciante estão lá no intervalo comercial de rede de TV sob concessão pública e acha que um equipamento de segurança, como a lombada, não deveria correr de medo de um carro da Volkswagen.

Technorati tags: carro, volkswagen, conar.

Written by panopticosp

junho 11, 2007 às 18:31

Publicado em publicidade, transporte

Tagged with ,

5 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. achei muito importante seta reportagem

    flavio

    setembro 25, 2007 at 17:14

  2. […] CONAR aceita campanha da Volks que ridiculariza preocupação com velocidade Não reduzir na lombada é hilário, aceita CONAR Novo Fiat Palio: a emoção está […]

  3. […] pela família. Dizem que os pais censuram sua criatividade e que estes não entendem nada sobre o apelo hilário do trio pastel, refrigerante e chocolate como jantar. Decidiram que vão auto-regulamentar suas […]

  4. […] dos animais com dedo opositor desenvolvido, mas eles esquecem que no Brasil temos o CONAR sempre alerta para nos […]

  5. […] profissional e seu conselho de sábios do CONAR carro é para quem se contenta com muito, os equipamentos de segurança no trânsito são hilários e qualquer veículo automotor pode ser “eco” e […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: