Panóptico

Posts Tagged ‘protesto

Ghost bike Antônio Bertolucci

leave a comment »

Antônio Bertolucci tinha 68 anos e pedalava diariamente. Há dois meses, ele morreu atropelado por um ônibus de turismo no acesso à Av. Sumaré, na zona oeste da cidade de São Paulo.

No asfalto da avenida, manifestantes marcaram sua indignação com o desrespeito à vida; no alto do semáforo, penduraram uma bicicleta branca em memória do ciclista.

Written by panopticosp

agosto 17, 2011 at 10:30

Publicado em transporte

Etiquetado com ,

Por um grande ato contra a violência da polícia paulista

with 8 comments


Arte: Angeli. Todos os direitos reservados

14 de janeiro de 2011: Durante caminhada de protesto contra o aumento da tarifa de ônibus em São Paulo, a PM dispara bombas e balas de borracha à queima roupa. Policiais sacam armas de fogo. Após corre-corre, manifestantes são perseguidos e agredidos aleatoriamente nas ruas do centro. Câmeras são quebradas e fotos apagadas. Questionada, PM nega exagero.

17 de fevereiro de 2011: Durante mais um protesto contra o aumento do ônibus, um estudante é espancado, na frente das câmeras, por cerca de oito policiais visivelmente descontrolados. Gravemente ferido, o garoto é submetido à cirurgia e fica internado por dias. Ao tentar negociação, três vereadores da cidade levam cassetadas na porta da prefeitura da cidade. Armas de fogo são diretamente apontadas para manifestantes. O comando da PM e o governador afirmam que foi preciso retomar a ordem após bexigas de água terem sido jogadass contra a PM e lixeiras serem quebradas.

17 de abril de 2011: Para conter a agitação num show punk da Virada Cultural, guardas municipais decidem entrar com a viatura no meio da multidão e causam pânico. Um guarda mira sua arma para a multidão revoltada. Em meio a chutes, o carro sai em disparada pela plateia.

01 de maio de 2011: Dia do trabalhador. Durante protesto contra a violência policial dedicada aos negros, manifestantes são agredidos no centro.

21 de maio de 2011: Marcha da maconha é proibida pelo judiciário. Após acordo com a PM, manifestantes saem em passeata pela liberdade de expressão. A tropa de choque dispara bombas na avenida paulista causando correria. Os policiais seguem até a rua da consolação, onde acontece uma chuva de bombas e balas de borracha. O pânico toma conta da rua. Motoristas, pedestres e moradores se protegem assustados. Após greve respiro na altura da Praça Roosevelt, e com a marcha já fragmentada, PM corre atrás de manifestantes que estavam na Rua Augusta, dispara mais bombas e esvazia a via. Um PM é flagrado chutando um garoto que caminha a sua frente, o rapaz é agredido e sua câmara tomada. Fotojornalistas que registravam o momento são agredidos pela guarda municipal. Os manifestantes seguem até delegacia nos jardins e os cerca de seis presos são liberados. A PM e GCM, mais uma vez, negam excessos e dizem que os atos serão analisadas por suas corregedorias.

Ok, estamos falando só da capital, ou melhor, do centro da capital. Na periferia da cidade segue a chacina de jovens “suspeitos” e a corrupção escancarada. Fora da capital, a cobertura da impresa é deficiente mas a situação não é diferente.

As imagens dos casos resumidos acima são claras e ninguém que pretende viver em paz pode concordar com policiais enraivecidos apontando armas para garotos de 17 anos só porque eles estão participando de uma passeata. Sejamos sinceros, a polícia paulista está fora de controle.

Em manifestações, a PM simplesmente deixa vir à superfície toda violência das sombras de suas cadeias. Uma pequena aglomeração num canto da cidade e logo viaturas desesperadas começam a chegar pela contra mão, como se alguém tivesse feito reféns num banco. Durante a marcha da maconha, diante de mais de 40 viaturas, quase uma centena de motos e tropa de choque em plena Av. Paulista, alguém no twitter perguntou se se tratava de um golpe militar ou algo do tipo.

Hoje, a polícia de São Paulo entende uma reunião de pessoas como uma espécie de ato terrorista iminente, toma uma ordem judicial como sinal verde para distribuir porrada e caçar sadicamente as pessoas pelas ruas.

Chega! Já basta! Toda vez que um abuso deste tamanho é cometido e comandante, secretário de segurança e governador do Estado dizem que está tudo certo e que “excessos serão apurados” estamos mais perto de um estado policial completo, onde tudo é proibido e todos são suspeitos. Votamos, somos mal representados, temos leis de convívio mas quando um grupo decide se expressar alguém indefeso acaba no hospital.

Estamos indignados! Por um grande ato contra as sequentes agressões gratuitas da polícia de SP em manifestações públicas.

Não precisamos de partidos corruptos, sindicatos falidos ou líderes hipócritas. Já não somos mais os mesmos. Organizações, grupos de amigos, movimentos sociais, turmas do bar, turmas da firma, gente diferenciada, pobres, fudidos e pensantes num só ato pelo direito de protestar. Pela liberdade de dar sua opinião, pela discussão em praça pública. Chega da prática policial em que jovem negro de bermuda e boné é suspeito – que ganha como brinde um tapa na orelha e uma arma na cabeça.

Pelo bom senso policial em manifestações públicas. A polícia deve procurar a ordem, não causar o pânico, o caos. PM, a cidade não é de vocês! Não venham lançar bombas por um bairro inteiro só porque assim decidiram.

A cidade é nossa e vamos começar a retomá-la pacificamente no próximo sábado, dia 28/05, às 14h, no vão livre do MASP.

Written by panopticosp

maio 23, 2011 at 14:30

Publicado em política

Etiquetado com , ,

Polícia reprime com violência marcha da maconha em São Paulo

with one comment

A Marcha da Maconha em São Paulo partiu do MASP, na Avenida Paulista, e seguia para o centro quando a tropa de choque, na altura da Rua Augusta, avançou covardemente contra os manifestantes.

Na Rua da Consolação e Rua Augusta, por onde a marcha da maconha passou – já um tanto dispersa pela correria – houve mais bombas, presos e violência desmedida.

Written by panopticosp

maio 21, 2011 at 17:34

Publicado em política

Etiquetado com , ,

Higiene na pólis

with 9 comments

O governo desistiu da estação de metrô Higienópolis na Av. Angélica, no meio do bairro nobre paulistano. Após pressão dos moradores e comerciantes do bairro, que não querem “gente diferenciada” circulando pela área, a estação deve ficar próxima ao Estádio do Pacaembu.

“Eu não uso metrô e não usaria. Isso vai acabar com a tradição do bairro. Você já viu o tipo de gente que fica ao redor das estações do metrô? Drogados, mendigos, uma gente diferenciada…”

Disse a psicóloga Guiomar Ferreira, 55, enquanto comprava na tradicional Bacco’s Vinhos da rua Sergipe (FSP, 13/08/2010)

A multidão de funcionários, empregados domésticos, porteiros, seguranças, babás e toda gente que vem de longe para cuidar da vida das famílias do bairro, ficou na mão. Simplesmente porque o governo do Estado não está interessado na cidade como um todo e prefere não desagradar meia dúzia de higienistas.

Pois solta o proibidão, o pagode, o churrasco e a cerveja que esta gente diferenciada tá chegando. Este sábado, dia 14, às 14h, em frente ao Shopping Higienópolis.

>>> Não deixe de ler o sensacional texto de Marcelo Rubens Paiva sobre o assunto: Allons enfants

Written by panopticosp

maio 11, 2011 at 16:57

Publicado em transporte

Etiquetado com , , ,

São Paulo tem ato em solidariedade a ciclistas atropelados em Porto Alegre

with one comment

Em São Paulo, ciclistas, pedestres e skatistas protestaram contra o atropelamento em massa de ciclistas promovido por Ricardo José Neis em Porto Alegre.

Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre e Buenos Aires também terão protestos contra a violência ocorrida em Porto Alegre.

Relacionados:
Como foi a manifestação de apoio aos ciclistas de Porto Alegre, Vá de Bike
Uma noite, corpos no asfalto, As bicicletas

Written by panopticosp

março 1, 2011 at 13:14

Publicado em transporte

Etiquetado com , , ,

Após excesso de público, audiência da Nova Luz será longe do centro

with one comment

No último dia 14, a Rua Santa ifigênia, maior centro de comércio de eletrônicos do país, baixou as portas às 15h. O comércio do entorno, incluindo o de motos, também fechou em protesto. Os comerciantes, funcionários e moradores da área estão aflitos e indignados com os rumos do projeto de revitalização do bairro.

Mesmo com a pesada chuva que caiu no centro, mais de mil pessoas manifestaram sua discordância com o projeto Nova Luz e a concessão urbanística que pretende demolir cerca de 30% do bairro da Santa Ifigênia, na República.

Como lembraram os manifestantes, das medidas anunciadas com alarde, poucas saíram do papel; destas, nenhuma se reverteu em melhorias reais para a região.

Dos planos de acolhimento e tratamento de viciados em crack, o que se vê é um jogo de gato e rato com a polícia; das grandes estruturas culturais e museus, se conclui que turistas e visitantes de final de semana não circulam pelo bairro e não ocupam as ruas, como a prefeitura esperava; das demolições de quarteirões inteiros e dos despejos em lote para a construção de novas estruturas, emergiu um grande vazio.

Os manifestantes daquele dia, tinham um objetivo, fazer-se ouvir na audiência pública que aconteceria às 19h. Diante da multidão, que caminhou até o local sob chuva, o Secretário de Desenvolvimento Urbano, Miguel Bucalen, cancelou o evento por excesso de público e falta de segurança.

Hoje o comunicado de uma nova audiência foi publicado no Diário Oficial. Ela acontecerá a cinco quilômetros da Santa Ifigênia.

Dificultar o acesso do público a audiências públicas, característico da democracia paulistana.

COMUNICADO AUDIÊNCIA PÚBLICA CONTRATO no 02/2010/SMDU – NOVA LUZ

A Prefeitura de São Paulo, por intermédio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, em conjunto com o Consórcio Nova Luz, contratado para o desenvolvimento do projeto urbanístico específico para realização de concessão urbanística na área delimitada pelo perímetro da Nova Luz, definido pelas Avenidas Casper Líbero, Ipiranga, São João, Duque de Caxias e Rua Mauá, no Distrito da República, no Município de São Paulo, vem comunicar que no dia 28 de janeiro de 2011, às 18:00 horas, no Grande Auditório Celso Furtado do Palácio das Convenções do Anhembi, situado na Avenida Olavo Fontoura, 1209, entrada pela Portaria A, realizará audiência pública para apresentar, esclarecer e recolher sugestões sobre o Projeto Preliminar para a Concessão Urbanística da Nova Luz.

O credenciamento será realizado das 15h00 às 18h00 horas. Todos os documentos relativos ao tema da audiência pública, consistentes nos estudos contratados, estão disponíveis, desde a divulgação da audiência até seu encerramento, no Posto de Informações situado na Rua Gal. Couto de Magalhães, 381, dentro do perímetro do Projeto e no sítio eletrônico http:// http://www.novaluzsp.com.br. Os procedimentos para a reali- zação da Audiência Pública constam da Portaria no 014/ SMDU/2011, de 18/01/2011, publicada no Diário Oficial da Cidade no dia 20 de janeiro de 2011.

Diário oficial da cidade de São Paulo, 20/01/2011

Written by panopticosp

janeiro 20, 2011 at 10:15

Publicado em política

Etiquetado com ,

A cidade não é isso que está aí, a cidade é outra coisa

with 6 comments

Numa rua tranquila um carro prateado desliza pela curva que leva a uma estrada ensolarada. De um bosque florido é que surge um garotinho numa bicicletinha; de encontro aos pais orgulhosos, ele e o cão de pêlo macio comemoram um dia ao ar livre.

A cidade dos comerciais de automóveis e dos panfletos imobiliários é bem diferente daquela na qual vivemos todos os dias. Praças sem bancos, jardins de espinhos, cafés onde não é preciso deixar claro que ali é proibido se demorar sentado, pipoqueiros correndo da polícia e, claro, carros, muitos carros.

Sendo a copa do mundo um evento publicitário, natural que a cidade das redes de televisão seja festiva, vibrante, alegre e qualquer outra palavra que venha à cabeça do Galvão.

Bêbados em carros do tamanho de caminhões, buzinas desesperadas agonizando no trânsito e empurra-empurra no metrô são parte de uma realidade que não cabe no panfleto esportivo.

O jogo começa e junto uma cidade diferente. Durante poucas horas, as ruas se esvaziam e o tempo parece passar mais devagar. Um par de 45 minutos mostra que uma outra cidade possível.

Se o futebol, orgulho do nosso país, costuma nos envergonhar e a memória do “futebol-arte” frequentemente tem que ser acionada pelos fãs; com São Paulo não é diferente, os “tempos passados” são aqueles para onde a maioria corre quando quer falar algo positivo de seu lar.

Sugestões à seleção de Dunga não faltam. Todos sabemos que a coisa poderia ser diferente, mais divertida e melhor. São Paulo também não precisa ser assim.

Relacionados:
Brasil 3 X 0 Chile, apocalipse motorizado
Brasil 2 X 1 Coréia do Norte, apocalipse motorizado
Brasil 3 X 1 Costa do Marfim, apocalipse motorizado
Brasil 0 X 0 Portugal, apocalipse motorizado

Written by panopticosp

junho 28, 2010 at 20:48

Publicado em transporte

Etiquetado com , , ,

Ciclistas inauguram motofaixa

with one comment

Written by panopticosp

maio 30, 2010 at 14:03

Publicado em transporte

Etiquetado com , , ,

Gatunos S.A. lança mais um empreendimento de sucesso

leave a comment »

No último sábado, a Gatunos S.A. realizou o lançamento de seu mais ousado empreendimento, o Residencial Itororó, na nobre região da Bela Vista.

Centenas de pessoas de bom gosto, autoridades e membros das mais distintas famílias da cidade (e algumas celebridades instantâneas. Fazer o quê? A alta sociedade não é mais a mesma), estiveram presentes no local para conhecer as novidades arquitetônicas e as soluções encontradas pela Gatunos para facilitar a agitada vida dos paulistanos.

Pandoval Garfield de Souza, um dos responsáveis pelo negócio, disse que alguns ajustes ainda serão feitos para tornar o empreendimento ainda mais atrativo. Ele cita a demolição de dois altos edifícios brancos (vistos ao fundo da foto acima) que desestabilizam a energia arquitetônica feng shui do Residencial Itororó.

Enquanto saboreavam os delicados aperitivos preparados pela talentosa equipe Cat Buffet, os clientes puderam conhecer melhor as linhas de financiamento do Programa “Centro é caro, vá embora!”.

Cartas de descrédito foram as mais emitidas durante o lançamento. “Perdemos as contas, foram muitas. O descrédito é geral”, declarou Garfield à reportagem. “Para garantir o nível dos futuros moradores, a faca tem que estar a afiada”, completou o jovem diretor.

As plantas dos apartamentos agradaram até os mais exigentes. O design de interiores Claúdio Hype Deco declarou que “tudo foi pensado com os olhos no futuro, um pé na tradição e outro no requinte”.

Inovações como o televisor do dormitório voltado para a privada causaram euforia e foram testados e aprovados por aqueles que exageraram nos canapés extra apimentados da festa.


Não entendeu nada? Leia a reportagem de verdade sobre o protesto: Humor e criatividade marcam protesto na Vila Itororó (Revista Fórum)

Relacionados:
Vila Itororó mobilizada para resistir: a história do palacete “surrealista” que virou a casa de gente simples, Brasil de Fato
Vila Itororó, blog

Written by panopticosp

maio 18, 2010 at 17:31

Publicado em política

Etiquetado com ,

Butantã contra mais um túnel

leave a comment »

O pessoal do Butantã continua mobilizado contra o túnel-avenida que vai acabar com a Praça Elis Regina, querida no bairro.

O aniversário do espaço de convívio será comemorado com festa pública e manifestos contra a incessante política paulista de ampliação do espaço para os automóveis.

Manifesto dos moradores

Construir uma avenida sôbre a Praça Elis Regina, que acabou de ser recuperada, e construir um túnel por baixo do Parque da Previdência saindo na Eliseu de Almeida em frente ao Shopping Butantã, são medidas que levam ao aumento de carros nas ruas que já entraram em colapso (resolve o fluxo aqui, congestiona mais adiante). Também levam ao aumento da poluição atmosférica, do barulho, da temperatura e de solo impermeabilizado propiciando enchentes. Absolutamente não resolvem o trânsito e degradam a qualidade de vida dos moradores.

Não queremos esta avenida e este túnel!

Nós queremos preservar nossa Praça Elis Regina, nosso Parque da Previdência e o que resta das nossas ruas. Queremos transportes coletivos eficientes, periferias equipadas com sacolões, bibliotecas, hospitais, escolas, trabalho e entretenimento de maneira que seus moradores não precisem atravessar longas distâncias para resolver estas questões e, queremos que o Centro de São Paulo, já com todos estes equipamentos, volte a ser ocupado por muitos moradores (e não apenas por moradores de rua).

Queremos uma cidade para gente, não para carros! Muita luz sem este túnel!

Butantã pode!

Relacionados:
Muita luz no fim do túnel, vídeo
Túnel sob o Parque Previdência, blog

Written by panopticosp

março 19, 2010 at 10:19

Publicado em política, publicidade

Etiquetado com ,

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.